Perguntas Frequentes

1. O que é Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva EMTr ?

A Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva EMTr ou rTMS (do inglês repetitive Transcranial Magnetic Stimulation) é uma técnica neurofisiológica que permite a indução de um campo magnético no cérebro de maneira indolor e não invasiva. A EMTr é aplicada colocando uma espiral metálica envolta em plástico (bobina) sobre a cabeça para emissão de pulsos magnéticos que atuam sobre o cérebro de maneira focalizada. Dependendo da freqüência utilizada, os estímulos podem aumentar ou diminuir a atividade da área cerebral atingida e, assim, pode-se aplicar terapeuticamente modulando (equilibrando) o funcionamento neuronal de acordo com o problema apresentado.

2. A EMTr está aprovada para tratamento no Brasil?

A EMTr vem sendo usada há 20 anos para diversos fins principalmente em neurologia (investigação neurofuncional, estudo das funções cognitivas, diagnóstico da transmissão nervosa) e há 10 anos no campo da psiquiatria, principalmente no tratamento dos quadros de depressão. Em virtude da facilidade do tratamento e dos resultados obtidos na depressão – equivalentes aos das demais modalidades, mas com a vantagem de não apresentar efeitos colaterais, observou-se nos últimos anos a multiplicação de centros médicos e de pesquisa em estimulação magnética cerebral nos mais respeitados centros universitários ao redor do mundo. A EMTr esta aprovada para uso clinico em diversos paises como Estados Unidos, Canadá, Australia, Israel e inclusive no Brasil.

Quanto à situação legal da EMT no Brasil, é necessário distinguir dois conceitos diferentes:
1. A técnica é aprovada para uso clínico conforme diversos registros dos equipamentos neuroestimuladores na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O primeiro registro no país ocorreu em junho de 2000, sob responsabilidade do Dr. Roni Broder Cohen (Registro: 10304540057 Processo: 25351.000510/00-29, MAGSTIM SUPER RAPID, THE MAGSTIM COMPANY – INGLATERRA).
2. O CFM a reconheceu como consagrada no arsenal terapêutico para tratamento da depressao uni e bipolar, alucinacoes auditivas da esquizofrenia e para planejamento de neurocirurgia em outubro de 2011.

3. Como é feito o tratamento?

O paciente senta-se numa poltrona reclinável e recebe os estímulos durante aproximadamente 30 minutos, permanecendo acordado e sem necessidade de uso de medicações. Há um ruído (estalido do tipo “click”) associado com a passagem da corrente através da bobina, mas o efeito do campo magnético e da indução da corrente no cérebro não é doloroso. Entretanto, algum desconforto pode ocorrer devido à contração dos músculos do couro cabeludo ou da ativação dos nervos próximos. O tempo de tratamento varia de acordo com a patologia (quadro clínico) e com os diversos centros mundiais.

4. Segurança da EMTr

A EMTr (rTMS) é uma técnica segura e não provoca efeitos colaterais significativos desde que sejam seguidas as normas internacionais de segurança. A EMTr (rTMS) é um método praticamente inócuo que pode ser utilizado com segurança em situações clínicas específicas nas quais o uso de antidepressivo pode acarretar conseqüências indesejáveis e arriscadas ou mesmo ser contra-indicado, como, por exemplo, durante a gravidez ou no pós-parto. Considerando esta questão um recente estudo publicado por Nahas e cols descreveu o primeiro relato da aplicação da EMTr em paciente gestante demonstrando sua eficácia, tolerabilidade e segurança, merecendo posteriores replicações para consolidar o uso da técnica nesse tipo de paciente.

5. Efeitos colaterais da EMTr (rTMS)

A EMT é uma técnica segura e os pulsos simples (com freqüência igual ou menor que 1 Hz) vem sendo utilizados há 15 anos para fins diagnósticos e terapêuticos, evidenciando nos vários estudos específicos ser a técnica isenta de riscos e ter ótima tolerabilidade (veja tópico relacionado e referências). A EMTr de baixa freqüência tem ótima tolerabilidade e o único efeito colateral significativo é cefaléia, que ocorre em 3% dos casos (devido a contração dos músculos do couro cabeludo) tratada com analgésicos comuns. A indução de zumbidos ou diminuição transitória da audição pode ocorrer em 10% dos pacientes, mas esse risco é totalmente eliminado com o uso de tampões de ouvido. A EMTr de alta freqüência, entretanto, devido a seu efeito estimulante, pode predispor à convulsão em indivíduos suscetíveis, se aplicada fora das margens de segurança preconizadas. Até 1996 havia o relato de 6 casos de crises convulsivas, sem seqüelas clínicas tardias, induzidas pela EMTr rápida. Em função deste risco, os pesquisadores dos diversos centros mundiais reuniram-se em Bethesda (EUA) em 1996 e estabeleceram os limites de parâmetros de estimulação considerados seguros, tais como intensidade do pulso, freqüência utilizada, número de estímulos e tempo da sessão. Após a adoção destas regras internacionais não houve nenhum relato de crise induzida pela EMTr.

FONTE – http://estimulacao.com.br/faq.htm

 

Dr André Gordilho

Médico Psiquiatra – CRM 12917

O  Dr André Gordilho realiza atendimento ambulatorial no Centro Médico do Hospital da Bahia e no Espaço Holos, onde também é coordenador do serviço de Estimulação Magnética Transcraniana. Médico responsável pelo Holos Dia (hospital Dia) e professor adjunto e coordenador da unidade curricular de saúde mental da faculdade de medicina da UNIFACS.

Anúncios